Os sonhos são os guias do seres humanos, foi o sonho de voar que nos fez dominar a aerodinâmica, foi o sonho de ter luz no escuro que nos fez chegar a dominar o átomo. Os sonhos é o combustível da liberdade a ferramenta máxima do homem, mas o que é liberdade afinal das contas? Muitas pessoas associam liberdade ao capitalismo, ao que chamam de democracia, mas somos nós mesmos homens livres por definição?
Por um segundo olhe ao seu redor, do dia que nascemos até o dia em que nos tornamos uma lembrança para entes queridos nós somos medidos, julgados, criticados e aconselhados, por pessoas que querem nosso bem.

As prisões de nossas mentes.

Por sermos a única espécie racional consciente que conhecemos, temos essa maldita certeza que a nossa moral e nossa ética são valores fundamentais, mas esquecemos que mesmo estas mudam de acordo com as diferentes épocas e sociedades. E ficamos aprisionados em uma cela aonde as barras são os valores morais que nos imputam.

Do dia que nossos pais no começam a dizer que é feio fazer isso ou aquilo, que a experimentação passa a ser proibida, passamos a ser prisioneiros de nossas próprias mentes, porque nossos pais podem até nos repreender mas é nossas mentes que nos policia, quem nunca ouviu do próprio pai “Você sabe o que fez de errado”.

E essa prisão se torna mais opressora, conforme avançamos na vida tentando criar uma dependência da aprovação alheia, seja de professores, seja de colegas, amigos ou das turmas, essa necessidade de nos pasteurizarmos nos torna medíocres, levando-nos a simplesmente esquecer o que é importante.

Para justificar essas coisas, o homem criou toda uma gama de mitologias e religiões, para explicar os valores que o Status Quo precisa manter, porque afinal o paraíso para os bons, nos permite controlar uma massa de mais de 60% da humanidade, e hoje em dia erguer império bilionários. Assim como o culto ao sucesso e ao ter, porque você precisa ser admirado, você precisa ser alguém.

Mas quem é esse alguém? Afinal se você precisa ser alguém, quem diz quem é esse alguém?

O molde dos outros moldando a sua vida.

Sim porque quem tem o poder não quer perder, e o que eles fazem eles criam valores, valores de beleza, culturais, sociais, tudo para que as pessoas busquem estar no molde do sucesso. Quem diz que uma pessoa de sucesso? O que faz você ser uma pessoa boa? São valores e metas que você criou para si ou são as medidas dos outros?

E ai que está quando começamos a viver a nossa vida querendo nos enquadrar numa série de valores, que não fomos nós que criamos, quando buscamos ser bom, pessoas de sucesso, mas principalmente, ser reconhecido dessa maneira, deixamos de ter a nossa vida e passamos a ter o nosso papel.

Você passa a interpretar a pessoa que você quer que enxerguem, afinal você precisa estudar, trabalhar, ser alguém.

Você tem de ser aquilo que os outros dizem que você é, ou ser que eles querem que você seja.

Continue rolando os dados

E é nesse mundo em que as pessoas esperam que você interprete um papel que me chega uma pergunta, e quem sou eu, é olhando para esse universo de certezas e arquétipos, que eu encontro a liberdade de ser ninguém, de ser um rosto na multidão. O reconforto de ter a minha métrica do sucesso, de ter os meus desejos e viver pra eles.
Porque toda a realização o tempo vai apagar, e mesmo que não apague, não estaremos aqui para desfrutá-las. essa é a maior liberdade, se libertar da expectativa de uma vida eterna, se libertar da busca de aprovação, é saber que a vida se resume a uma coisa, a sensação que temos no exato momento que vivemos.

O passado pode ser um refúgio doce, ou amargo, o futuro uma brilhante esperança, mas o fato é que vivemos no resultado do primeiro, e na construção do segundo, mas somente sentimos, somente saboreamos com todo o gosto o agora. Então aonde você quer estar agora, o que você quer fazer agora?  Essa é a liberdade que eu busco, a liberdade de ter o agora que eu quero, sem me importar com o que dizem certo, errado, belo, muito o pouco.

A verdade é que eu não posso fazer ninguém sentir o que eu sinto por nada. Porque em algumas décadas, anos, meses, dias, horas, minutos, segundos, não sei,  eu vou deixar de existir e virar um nada, minha intelectualidade se apagará, minhas idéias passarão a existir na mente de outras pessoas, mas mesmo assim uma hora se tornarão anônimas, ou gerarão novas idéias.

Libertar-se das expectativas, das pressões e das medidas,nos permite entender que a vida existe para cada pessoa e só enquanto se vive e todo o resto que se foda.

 

Anúncios