Mais um ano se acabando e eu aqui refletindo e iniciando o meu balanço.
Posso dizer que 2012 foi um ano que eu gastei pra começar a restruturar minha vida, me recompor de besteiras que eu fiz anteriormente. Para fazer isso, mudei pro México, passei um ano dando duro, construi uma equipe que executou um dos projetos mais malucos da Rocket, refazer todo o frontend da Linio em 6 meses, realizamos, apesar de muitas brigas com o meu CIO, porque mesmo entregando tínhamos de fazer muitas besteiras.

Mas isso ainda me deu N oportunidades, que eu sempre tentei abraçar.

(mais…)

E quando eu me olho no espelho que eu não sei mais quem eu sou, sem os cabelos cumpridos, sem a barba por fazer, a maioria das vezes. Eu olho para esse estranho que tem compromissos profissionais,  que se preocupa em horários, que busca uma estabilidade profissional.

Estabilidade era uma palavra proibida no meu glossário há um tempo. Estranho que para fazer nossos sonhos acontecerem devemos ás vezes abrir mão de algumas coisas menores. Sim eu sei, eu sei que eu preciso manter uma carreira, uma estabilidade, para poder viabilizar as condições necessárias para realizar os meu sonhos. Mas eu ainda fecho os olhos e vejo os lugares que eu quero visitar. Eu ainda sei o que eu quero fazer e essencialmente eu ainda sem quem eu sou.

Porque é isso que nos faz humanos, saber quem somos, ter nossos princípios e sonhos e nunca abandoná-los. Mas porque isso é importante hoje? Porque amanhã eu posso não saber quem eu sou, acabar seqüestrado por uma condição da vida e esquecer porque eu fiz tudo o que eu fiz. Esquecer que eu comecei a programar para fazer um gerador de personagem de RPG.

Esquecer que eu programo, trabalho, só por um motivo, para mergulhar, para conhecer novos lugares, para estar com quem eu amo. Eu paguei caro as besteiras que eu fiz na vida, eu chorei, eu sofri, eu quase morri. Sendo honesto, tudo que eu quero agora é lembrar todo o dia que o cabelo já não está lá. Mas o headbanger ainda vive, a barba não está mais lá, mas é porque coça. Que a idade chega, mas a pessoa não mudou, pelo menos não no que ela tem de mais essencial. Os sonhos e os valores.

Frustrated, degraded, down before you're done 
Rejection, depression, can't get what you want 
You ask me how I make my way 
You ask me everywhere and why 
You hang on every word I say 
But the truth sounds like a lie
(chorus) 
Live to win, 'till you die, 'till the light dies in your eyes 
Live to win, take it all, just keep fighting till you fall
-Live To Win Paul Stanley

Faz mais de um mês eu larguei um trabalho bem remunerado no México, pra viver um mês da minha vida como instrutor de mergulho, apesar de ter propostas financeiras muito mais interessantes. Tudo isso por um motivo, por um sonho, ser instrutor de mergulho e viver disso, ou pelo menos ter um complemento de renda para a minha aposentadoria.

Foi um mês vivendo o sonho, mas a grande questão é viver o sonho vale a pena?

(mais…)

Open Water Diver Course (Instructor Alexandre.

Hoje eu tenho uma reunião pra acertar a minha volta pra casa, meu plano foi cumprido, um ano no México, eu volto instrutor de mergulho e com a minha escola engatilhada, cada dia que eu passo aqui eu vejo isso mais perto. Mas a única coisa que me incomoda agora é, aonde é minha casa?

Sim eu tenho minha família, meus pais, minha irmã e minha namorada no Brasil, mas quanto mais eu penso mais eu me questiono será que essa é a minha casa? Não me entendam mal. eu realmente amo a Maísa, minha namorada, eu realmente me preocupo e quero meus pais, minha irmã é minha melhor amiga, uma das poucas pessoas com quem eu consigo conversar.

Mas o mundo é tão grande …

(mais…)

Estou nesse exato momento sentado no portão de embarque para retornar ao México, depois de muito rolo o rh não resolveu o que deveria, tomei uma decisão de dar um prazo, já informado à empresa, caso contrário volto mais cedo, passagem de volta comprada já inclusive.

É estranho ter de ir embora quando eu queria ficar, sempre que eu saio do Brasil a saudade de casa sempre começa a apertar no momento do embarque. Sim meu país tem um monte de problemas, e nunca encontrei um lugar que não os tenha.

Até logo Brasil

Os sonhos são os guias do seres humanos, foi o sonho de voar que nos fez dominar a aerodinâmica, foi o sonho de ter luz no escuro que nos fez chegar a dominar o átomo. Os sonhos é o combustível da liberdade a ferramenta máxima do homem, mas o que é liberdade afinal das contas? Muitas pessoas associam liberdade ao capitalismo, ao que chamam de democracia, mas somos nós mesmos homens livres por definição?
Por um segundo olhe ao seu redor, do dia que nascemos até o dia em que nos tornamos uma lembrança para entes queridos nós somos medidos, julgados, criticados e aconselhados, por pessoas que querem nosso bem.

As prisões de nossas mentes.

Por sermos a única espécie racional consciente que conhecemos, temos essa maldita certeza que a nossa moral e nossa ética são valores fundamentais, mas esquecemos que mesmo estas mudam de acordo com as diferentes épocas e sociedades. E ficamos aprisionados em uma cela aonde as barras são os valores morais que nos imputam.

Do dia que nossos pais no começam a dizer que é feio fazer isso ou aquilo, que a experimentação passa a ser proibida, passamos a ser prisioneiros de nossas próprias mentes, porque nossos pais podem até nos repreender mas é nossas mentes que nos policia, quem nunca ouviu do próprio pai “Você sabe o que fez de errado”.

E essa prisão se torna mais opressora, conforme avançamos na vida tentando criar uma dependência da aprovação alheia, seja de professores, seja de colegas, amigos ou das turmas, essa necessidade de nos pasteurizarmos nos torna medíocres, levando-nos a simplesmente esquecer o que é importante.

Para justificar essas coisas, o homem criou toda uma gama de mitologias e religiões, para explicar os valores que o Status Quo precisa manter, porque afinal o paraíso para os bons, nos permite controlar uma massa de mais de 60% da humanidade, e hoje em dia erguer império bilionários. Assim como o culto ao sucesso e ao ter, porque você precisa ser admirado, você precisa ser alguém.

Mas quem é esse alguém? Afinal se você precisa ser alguém, quem diz quem é esse alguém?

O molde dos outros moldando a sua vida.

Sim porque quem tem o poder não quer perder, e o que eles fazem eles criam valores, valores de beleza, culturais, sociais, tudo para que as pessoas busquem estar no molde do sucesso. Quem diz que uma pessoa de sucesso? O que faz você ser uma pessoa boa? São valores e metas que você criou para si ou são as medidas dos outros?

E ai que está quando começamos a viver a nossa vida querendo nos enquadrar numa série de valores, que não fomos nós que criamos, quando buscamos ser bom, pessoas de sucesso, mas principalmente, ser reconhecido dessa maneira, deixamos de ter a nossa vida e passamos a ter o nosso papel.

Você passa a interpretar a pessoa que você quer que enxerguem, afinal você precisa estudar, trabalhar, ser alguém.

Você tem de ser aquilo que os outros dizem que você é, ou ser que eles querem que você seja.

Continue rolando os dados

E é nesse mundo em que as pessoas esperam que você interprete um papel que me chega uma pergunta, e quem sou eu, é olhando para esse universo de certezas e arquétipos, que eu encontro a liberdade de ser ninguém, de ser um rosto na multidão. O reconforto de ter a minha métrica do sucesso, de ter os meus desejos e viver pra eles.
Porque toda a realização o tempo vai apagar, e mesmo que não apague, não estaremos aqui para desfrutá-las. essa é a maior liberdade, se libertar da expectativa de uma vida eterna, se libertar da busca de aprovação, é saber que a vida se resume a uma coisa, a sensação que temos no exato momento que vivemos.

O passado pode ser um refúgio doce, ou amargo, o futuro uma brilhante esperança, mas o fato é que vivemos no resultado do primeiro, e na construção do segundo, mas somente sentimos, somente saboreamos com todo o gosto o agora. Então aonde você quer estar agora, o que você quer fazer agora?  Essa é a liberdade que eu busco, a liberdade de ter o agora que eu quero, sem me importar com o que dizem certo, errado, belo, muito o pouco.

A verdade é que eu não posso fazer ninguém sentir o que eu sinto por nada. Porque em algumas décadas, anos, meses, dias, horas, minutos, segundos, não sei,  eu vou deixar de existir e virar um nada, minha intelectualidade se apagará, minhas idéias passarão a existir na mente de outras pessoas, mas mesmo assim uma hora se tornarão anônimas, ou gerarão novas idéias.

Libertar-se das expectativas, das pressões e das medidas,nos permite entender que a vida existe para cada pessoa e só enquanto se vive e todo o resto que se foda.